Auto-Hipnose: Saiba o que é e como fazer

Você já ouviu falar sobre auto-hipnose ou hipnoterapia e ficou curioso em saber como essa técnica funciona? Hoje vamos tirar todas as suas dúvidas sobre esse assunto e te ensinar como a auto-hipnose pode ajudar a melhorar sua saúde mental e emocional.

Cada vez mais a ciência comprova que a mente humana é capaz de se desenvolver por completo através da auto-hipnose.

Hipnose: O que é?

A hipnose é considerada um fenômeno psicológico especial. São duas as teorias que melhor explicam a hipnose: teoria de Estado e teoria de Não Estado.

Teoria de Estado: Sugere que o sistema neurofisiológico seja alterado, isso quer dizer que a hipnose em si pode ser observada por meio da interpretação dos sintomas e sinais emitidos através da oscilação neuronal.

Teoria de Não Estado: Essa teoria sugere que a hipnose pode ser observada através do comportamento de quem está sendo hipnotizado. Neste caso, não existem oscilações nos neurônios que comprovem que a hipnose está acontecendo, mas sim, o esforço e a concentração da pessoa sobre sua própria imaginação.

A hipnose é um estado psicológico especial, onde a pessoa fica mais suscetível a aceitar opiniões ou sugestões. Não confunda hipnose com:

  • Doutrinação da mente, dos pensamentos ou até mesmo lavagem cerebral;
  • Sonolência;
  • Desmaio ou inconsciência;
  • Misticismo

Auto-hipnose: o que é?

Técnicas como hipnoterapia ou hétero-hipnose acontecem quando existe uma pessoa como um terapeuta que auxilia no processo de hipnose. Já a auto-hipnose, é uma técnica que é feita pela própria pessoa, sem ajuda de alguém.

James Tripp, um hipnotista considerado um dos melhores especialistas em hipnose afirma que a auto hiopnose é “a utilização da linguagem para alterar a sua realidade”.

“Percepção é realidade”, segundo a Programação Neurolinguística (PNL), isso quer dizer que a realidade é como conseguimos ver ou sentir.

Para que serve a técnica de auto-hipnose?

Nos dias de hoje, ansiedade, angústia ou sentimento de incapacidade são sintomas de muitas pessoas.

Mas a auto-hipnose tem justamente o propósito de auxiliar no combate aos medos, maus hábitos, e até mesmo depressão por ansiedade e estresse.

Hipnoterapia: como funciona?

A hipnoterapia é sempre feita por um profissional, como um terapeuta, onde se estabelece uma conexão do consciente com o subconsciente. A partir deste processo, o terapeuta consegue modificar a forma como o cérebro consciente pode interpretar alguns acontecimentos, e é capaz de modificar sensações, forma de pensar e se de comportar.

Quando a pessoa está hipnotizada, a consciência fica incapaz “de se defender”, tornando mais fácil o processo de “transportar” ideias e sentimentos ruins para o subconsciente, dando novo significado aos pensamentos e sentimentos.

Nada há de milagroso ou mágico nesse processo. O que existe é simplesmente a sugestão de algo que é aceito pelo cérebro.

Auto-hipnose: Como a técnica funciona

Quando falamos em auto-hiopnose, uma das coisas mais importantes a se saber é que é uma técnica fácil de se desenvolver, porém é preciso ter determinação, foco e disciplina. Escolha um lugar onde o silêncio predomine, que você se sinta confortável e que saiba que nada vai interromper.

Técnicas de relaxamento como meditação, ter um pensamento positivo, ter uma alimentação saudável, e ter a respiração constante e regular por exemplo são essenciais para que a conexão consigo mesmo surja. Essas técnicas podem fazer com que você se conecte com sua mente, sendo possível enviar sugestões de sentimentos ao cérebro, gerando a mudança de comportamento.

Geralmente, nos cursos de hipnoses sempre é feita a preparação, em seguida o relaxamento, e logo após, a finalização. A seguir, vamos te ensinar como funciona cada etapa.

1. Preparação:

Para começar a preparação, é necessário escolher um local silencioso e que seja confortável, onde a pessoa possa permanecer sentada, sem a chance de deitar o corpo, pois devido ao relaxamento, é muito fácil pegar no sono. Agora, é muito importante se concentrar na respiração.

Com a cabeça e o corpo retos, respire fundo e eleve a cabeça para cima (sem esticar o pescoço), olhe para o teto, onde haja um ponto de referência e fixe o olhar. Inspire profundamente o ar, segure por 5 segundos e solte devagar.

Quando estiver fazendo o processo de respiração, pense na seguinte mensagem: “meus olhos e minha mente estão cansados, e agora estou entrando em estado de hipnose”. Pense dessa forma por um tempo, de forma que seja convincente, porém suave e leve. Em seguida, já estará em estado hipnótico.

2. Relaxamento:

Relaxe bem o corpo todo. Solte o peso que possa ter nos ombros e abdômen. Conte regressivamente de 5 a 0 por algumas vezes e tenha no pensamento que cada vez você ficará mais relaxado. Este é o momento em que o corpo “aceita as sugestões”. Agora você pode enviar sugestões para sua mente, como pensamentos otimistas, frases positivas e tudo aquilo que você deseja mudar para melhor em si mesmo. Pense em todas essas coisas boas e visualize-as também. Repita esse processo até que o cérebro “entenda” o que está sendo visualizado e possa sair do estado hipnótico.

VEJA TAMBÉM: Relaxamento para grávidas| Auto-hipnose

3. Finalização:

Para sair do estado hipnótico, você pode contar lentamente de 1 a 5, por algumas vezes. Converse consigo mesmo, “informe” para sua mente que você está voltando para o estado consciente. Abras os olhos devagar, alongue os braços e as pernas, enquanto respira fundo.

Finalizado o processo de hipnose, é normal que algumas pessoas sintam sono e fiquem com o raciocínio lento, porém, essas sensações são passageiras.

Todas as pessoas podem ser hipnotizadas?

Quando não existe nenhum tipo de problema psíquico ou algum tipo de deficiência cognitiva, qualquer pessoa pode passar pelo processo de hipnose.

As pessoas que não sabem o que é hipnose ou não conhecem os benefícios que essa técnica pode trazer, podem se ofender ao escutar que é possível ser hipnotizado com facilidade. Mas o que é importante deixar claro é, que quando hipnotizada, a pessoa continua no controle de sua mente, mas como a concentração, o pensamento e a imaginação estão em um nível bem mais elevado, ela consegue mudar a forma como pensa bem como seus comportamentos mais facilmente.

As reações de uma pessoa hipnotizada

Cada pessoa reage de uma forma diferente à hipnose. As reações mais comuns são sensação de alta concentração, calmaria extrema, altos níveis de relaxamento e é muito comum as pessoas definirem a hipnose como um “processo muito agradável”.

No processo de hipnose a pessoa fica sempre acordada e em estado consciente, ou seja, não é correto afirmar que durante a técnica pode-se dormir ou ficar inconsciente.

Os reflexos de uma pessoa hipnotizada continuam presentes, sendo possível saber o que está acontecendo ao seu redor.

A hipnose proporciona um estado profundo de relaxamento, contudo, a pessoa continua:

  • Em estado consciente
  • Controlando suas ações e reações
  • Tranquilo e dócil
  • Capaz de finalizar o processo quando desejar

A sensibilidade na hipnose

Ter uma sensibilidade para hipnose é algo que muitas pessoas desejam ter. Para conseguir chegar no estado de relaxamento capaz de enviar à mente as sugestões de mudança para melhor é preciso muita prática, mas também é preciso ser sensível ao que está acontecendo.

Cientificamente acreditou-se por muito tempo que a sensibilidade hipnótica era algo da própria personalidade de cada pessoa, logo, cada um teria uma sensibilidade que não poderia ser modificada. Também era relacionada com “habilidade”, e que nem todas as pessoas conseguiriam chegar no estado de hipnose.

Mas a partir do ano de 1987 tudo mudou. Estudos comprovaram que as pessoas poderiam sim alterar sua sensibilidade à hipnose através, de treinamento e concentração.

Como “treinar a mente” para se auto-hipnotizar?

O autor do estudo publicado em 1987, após muitas pesquisas sobre o tema hipnose se questionou: “Seria possível melhorar as nossas habilidades em hipnose e responder as sugestões feitas por nós mesmo?”

Então, após se aprofundar nos estudos referentes a hipnose, o autor identificou que haviam algumas falhas de metodologia em tudo o que já havia sido publicado sobre esse assunto: os exercícios feitos em todos os cursos ou treinamentos sobre hipnose ou auto-hipnose eram sempre os mesmos, feitos repetidamente.

Contudo, neste estudo ficou comprovado que a hipnose só funciona se a pessoa participar constantemente de todo o processo.

A mudança de atitude faz toda diferença

Os resultados não mudavam e as perspectivas não aumentavam, já que a forma de se trabalhar a hipnose ou a auto-hipnose nos cursos e treinamentos eram sempre as mesmas.

Então surgiu uma nova forma de melhorar e evoluir a hipnose para cada pessoa: tratamentos sóciocognitivos. Trata-se de um processo onde a técnica aplicada varia de pessoa para pessoa, conforme sua necessidade.

Essa técnica de hipnose não faz com que a pessoa entre em “transe” (que altera o estado de consciência de quem está sendo hipnotizado).

Dessa forma, todo o processo de hipnose acontece para atingir os objetivos do hipnotizado, pois quando ele sabe que para alcançar esses objetivos é necessária uma mudança de atitude, ele começa a mudar seus comportamentos e se esforça para atingir seus propósitos.

Quem deseja fazer parte de um processo de hipnose, deve saber antes de tudo que é preciso ser um bom entendedor de todo o assunto, e que o mais importante é que seu comportamento no momento da hipnose deve ser muito parecido com o comportamento de quem pretende entrar em “transe”.

Assim, o autor da pesquisa, concluiu que a boa execução de uma hipnose ou auto-hipnose vai depender muito sobre o que o hipnotizado pensa sobre a hipnose e qual será seu comportamento no decorrer de todo o processo hipnótico, já que a hipnose é considerada um tipo de comportamento.

Preparando-se para a auto-hipnose

Se você deseja praticar a auto-hipnose, saiba que a sua força de vontade deve estar em primeiro lugar. Para conseguir entrar em estado hipnótico, é fundamental estar bem relaxado, ter foco e disposição e não ter medo neste momento.

Mas existem outras preparações essenciais que devem ser feitas antes de começar a técnica, como definir suas metas e objetivos e todos os comportamentos que deseja mudar. Escreva em um papel todas as suas sugestões hipnóticas. Leia suas sugestões algumas vezes, e quando estiver no processo da auto-hipnose, diga a sua mente cada uma delas.

Além disso, existem outros detalhes no processo que devem ser levados em consideração no momento da hipnose, como por exemplo:

  • Escolha uma roupa que você se sinta confortável e se possível, esteja descalço;
  • Prefira um lugar calmo, livre de barulhos e interrupções, por isso escolha um horário apropriado;
  • Não pratique a auto-hipnose quando estiver se sentindo muito cansado, para evitar pegar no sono;
  • Prefira refeições leves antes e após a prática da hipnose;
  • Uma dica muito importante: para evitar dormir durante a hipnose, comece praticando de pé nos primeiros dias.

Benefícios do processo de auto-hipnose no dia-a-dia

Existem muitos benefícios em praticar a auto-hipnose, mas talvez o mais importante deles seja a capacidade de conseguir enfrentar situações que causam angústias, medos e geram dificuldades.

Outra vantagem de se fazer auto-hipnose no dia-a-dia é que a técnica pode auxiliar a aumentar o desenvolvimento das habilidades e reduzir ou até mesmo acabar com pensamentos negativos e maus comportamentos. Além disso, a prática da auto-hipnose é capaz de:

  • Elevar a autoestima;
  • Eliminar o cansaço do corpo e da mente;
  • Eliminar vícios;
  • Diminuir a timidez;
  • Aumentar a capacidade de conseguir se concentrar e manter o foco;
  • Auxiliar com problemas de memória;
  • Fazer com que o funcionamento da mente seja mais eficaz.

O fato de estar hipnotizado por um período faz com que seja possível experimentar novas experiências, já que durante a técnica o cérebro está livre de pensamentos de medo, angústia ou preconceitos.

LEIA MAIS: Medo do Exame de Direção – Superação com Hipnose

E o que é mais incrível e fascinante em todo o processo de hipnose é que todas as sugestões enviadas à mente permanecem fixas em nosso consciente, fazendo com que os benefícios sejam alcançados. Mas lembre-se que para que isso aconteça, é necessário que se tenha muito foco, dedicação, determinação e disciplina.

Como melhorar a concentração com a auto-hipnose

O processo de hipnose ou auto-hipnose proporciona o aumento da concentração, foco e determinação da pessoa que está sendo hipnotizada, fazendo com que seja mais fácil alcançar todos os seus objetivos.

E para quem precisa aumentar a concentração em determinadas situações, existem algumas sugestões que podem ser utilizadas durante o processo e que são específicas para quem deseja melhorar a concentração, assim como:

  • “Meus resultados no trabalho serão melhores a cada dia”
  • “Conseguirei terminar meu trabalho da faculdade hoje”
  • “Estou conseguindo aprender mais com meus estudos”
  • “Vou conseguir focar nos livros que preciso ler”

Algumas frases como essas ou semelhantes a essas (isso vai depender de seus objetivos), quando repetidas durante o processo hipnótico farão com que o cérebro assimile essas informações de forma mais rápida, e os resultados logo aparecerão.

Como melhorar a memória com a auto-hipnose

Existem muitas pessoas que sofrem com a dificuldade de memorizar algo e procuram auxílio na hipnose. A falta de memória pode ser resultante de problemas emocionais e a hipnoterapia pode amenizar essa situação, já que consegue chegar no subconsciente, onde estão todos os problemas, inclusive os de memórias que podem ser resolvidos.

Enviar mensagens positivas ao cérebro durante a auto-hipnose, como por exemplo “eu consigo lembrar”, auxilia no processo de memorização. Isso fará com que as atividades de nosso cotidiano não afetem a memória e não provoquem o esquecimento.

Tratando a dor com a auto-hipnose

Assim como auto-hipnose é muito procurada pelas pessoas que sofrem com problemas de memória, com o tratamento para dores ocorre a mesma coisa. Falta de memória, dores, medos e fobias, transtornos de ansiedade e depressão são problemas que podem ser amenizados ou curados com a hipnose.

Pessoas que sofrem com dores, sejam elas agudas ou crônicas costumam ter ótimos resultados com a auto-hipnose.

A produção dos hormônios como a serotonina e a endorfina, que estão ligados ao bem-estar acontece através da comunicação de quem está sendo hipnotizado com a sua própria mente, através das sugestões enviadas ao cérebro. Isso gera uma espécie de analgésico e ameniza a ação de um hormônio chamado cortisol, que está ligado ao estresse, depressão e ansiedade e é estimulado quando o cérebro percebe que está diante de algum problema que envolva dor.

Durante o processe de hipnose, a mente fica focada em pensamentos positivos e em boas sensações, e dessa forma, os neurotransmissores impedem a percepção das dores.

O que é a sugestão hipnótica

As sugestões hipnóticas são frases sugestivas de pensamentos positivos que são enviadas em silêncio ao cérebro durante a hipnose.

Esta parte do processo de hipnose é considerada fundamental e uma das mais importantes, já que através das sugestões é possível conseguir alcançar tudo aquilo que foi estabelecido no processo de preparação.

O objetivo das sugestões é conseguir alterar ou mudar os pensamentos e enviar novas mensagens ao inconsciente. As sugestões enviadas à mente inconsciente da pessoa em transe hipnótico são melhores aceitas do que as enviadas em estado consciente.

Isso diferencia as sugestões hipnóticas de qualquer outro tipo de sugestão. O que torna as sugestões hipnóticas mais efetivas do que outras sugestões é justamente o momento de transe mental em que está sendo feita.

Porém, para alcançar os objetivos e resultados esperados, é necessário foco e determinação, mas além disso também é preciso ter uma postura positiva, e quando preciso for, substitutiva.

Por este motivo, são essenciais as sugestões negativas como “não quero mais beber”, “não quero mais comer pães ou doces”, por exemplo. Quando esses comandos são enviados à mente, o inconsciente ignora as palavras negativas e entende apenas o que vem depois, que é o que você realmente deseja evitar.

Envie ao cérebro os comandos de acordo com o que você mais deseja, como “parar de beber”, “comer menos pães ou doces”, “tenho muita saúde”, etc.

Você também pode enviar ao cérebro sugestões substitutivas. Nesses casos, você deve substituir por exemplo o desejo de comer pães ou doces, por frutas.

Quando enviar suas sugestões ao cérebro, imagine que tudo aquilo que você deseja já está acontecendo. Visualize-se conquistando tudo o que você propôs à sua mente.

O ponto de vista sociocognitivo em relação à auto-hipnose

fazendo a auto-hipnose

Comece com um objetivo

O sucesso e os resultados positivos de quem está sendo hipnotizado dependerá do empenho que essa pessoa tem em relação aos seus objetivos. Quanto mais empenhada estiver, maiores serão as chances de entrar em transe hipnótico.

Vamos começar com um exemplo: imagine que existem dois tipos de pessoas querendo ser hipnotizadas. Uma que deseja parar de beber e a outra quer apenas ser hipnotizada pois tem curiosidade de saber como é estar em transe hipnótico.

E desses dois casos, você consegue imaginar qual deles estará mais empenhado no processo de hipnose?

Claro que é possível identificar que a pessoa que deseja parar de beber estará muito mais empenhada, já que ela possui um forte objetivo. E no momento em que essa pessoa começar a se auto-hipnotizar, dedicará todo seu esforço, e durante o processo, vai cumprir o papel de alguém que deseja realmente parar de beber.

E aquela pessoa que quer apenas saber qual é a sensação de estar hipnotizado? Provavelmente para ela será mais difícil encontrar o comportamento certo para conseguir entrar em transe hipnótico, pois não tem seu objetivo claramente definido.

Por este motivo pode ser nocivo pensar que a hipnose ou a auto-hipnose é um “estado alterado da consciência”.

Foque em seu objetivo

E você deve estar se perguntando: por que seria nocivo pensar dessa forma? Na verdade, é que o fato de conseguir entrar em transe hipnótico exigirá de você um ato passivo, ou em outras palavras, você terá que se concentrar e ter empenho para conseguir chegar em um estado que você ainda não sabe qual é.

As formas como cada pessoa entende o que é a hipnose pode ser completamente diferente de uma para outra. Mesmo que exista uma definição sobre o que é hipnose, ainda assim cada uma vai sentir de uma forma diferente.

Porém, quando se tem um objetivo onde você deseja muito alguma coisa, como eliminar medos, problemas emocionais como a depressão ou a ansiedade ou se você quer muito parar de beber, por exemplo, certamente conseguirá entrar em transe hipnótico, pois quando se tem um objetivo claro, será muito fácil seguir o passo-a-passo da forma correta para que a hipnose seja um sucesso.

Sua força de vontade vale ouro

Quando não há um comprometimento por parte de quem está sendo hipnotizado, é comum surgirem dúvidas no momento do transe hipnótico, como por exemplo “o que vai acontecer com meu cérebro?”, “será que vou conseguir entrar em transe?”, ou “ele vai invadir a minha mente?”

Mas quando se tem um objetivo claro, com certeza a pessoa vai pensar em coisas mais importantes durante o transe hipnótico, como por exemplo em como se manter focada para que tudo dê certo.

O que queremos dizer com “sua força de vontade vale ouro”, é que se você ficar pensando no que vai sentir quando entrar em transe ou que você precisa conseguir de qualquer jeito, vai acabar prejudicando a as atitudes em relação aos seus objetivos.

Como é feita a auto-hipnose em relação ao ponto de vista sociocognitivo

Para que você entenda melhor como é feita a auto-hipnose em relação à perspectiva socioconitiva, primeiro vamos falar sobre o CSTP – Pacote de treinamento de Competências de Carleton. Na década de 1980, os pesquisadores Donald Goracine e Nicolas Espanos desenvolveram alguns exercícios para melhorar o desempenho de quem estava sendo hipnotizado.

A atitude mental é essencial para se tornar parte do processo

como entrar em estado de auto-hipnose

No momento da hipnose ou auto-hipnose, as respostas dadas por quem está sendo hipnotizado em relação às sugestões enviadas à mente são muito importantes, pois o cérebro está sendo motivado a responder a todas as sugestões.

Quando falamos muito em entrar em “transe hipnótico”, “entrar em hipnose” ou “estar em processo hipnótico”, isso significa ter uma “postura mental ideal”.

Isso quer dizer que quem deseja fazer parte do processo de hipnose será treinado de uma forma especial e terá que responder à algumas sugestões. Desde respostas simples, como movimentos involuntários da consciência, que existem simplesmente por estar pensando, até amnésia, que envolvem sugestões com um pouco mais de complexidade.

As respostas às sugestões devem ser dadas de forma voluntária por quem está sendo hipnotizado, porém deve imaginar que está acontecendo automaticamente. No início pode parecer que o processe é complexo, mas com o passar do tempo é possível perceber que trata-se de algo muito simples.

O que é possível fazer na auto-hipnose para que esses exercícios ideomotores sejam melhorados?

No momento do exercício, a pessoa que está sendo hipnotizada, a pessoa deve imaginar o que está acontecendo. Então, ela “espera” que seu pensamento se transforme em hipnose.

Mas não é apenas isso que p CSTP propõe. Mais do que isso, a pessoa deve movimentar-se voluntariamente de acordo com o que está imaginando.

Os movimentos acontecem quando a pessoa está concentrada. Também podem acontecer movimentos involuntários, o que sobrecarrega a memória operacional e também temporária do cérebro.

Os movimentos voluntários ocupam uma parte do seu consciente

exercicio das maos magneticas

Quando a pessoa que está sendo hipnotizada se concentra em seus movimentos, como por exemplo, seu braço subindo sozinho, esse pensamento consciente diminui e é possível enviar ao inconsciente esse comportamento do movimento do braço subindo.

Um exercício muito utilizado no processo hipnótico é o exercício das “mãos magnéticas”. Nessa prática, deve-se ter um hipnotista pois é necessário “pedir” para que a pessoa levante seus braços, e então feche os olhos, imagine que suas mãos são magnéticas como imãs e que esses imãs se atraem cada vez mais.

No início é comum o hipnotizado fazer apenas um pequeno movimento com os braços, mas quando o treinamento é feito regularmente, essa resposta vai melhorando.

Quando você espontaneamente coloca seus braços nessa posição, fecha os olhos e conscientemente começa a imaginar que seus braços estão se movimentando sozinhos, esse movimento será criado automaticamente, pois o cérebro entende e generaliza essa resposta para outros fenômenos.

Faça de conta que acontece, até acontecer.

Quando você faz de conta que acontece algum movimento voluntário, automaticamente seu cérebro se concentra em tudo o que está acontecendo, ou seja, ele “entende” que isso não está ocorrendo de acordo com seu desejo consciente.

No CSTP, existe uma orientação que deve ser seguida: “Faça de forma voluntária tudo aquilo que lhe é sugerido. No entanto, não preste atenção ao fato de você estar fazendo isso voluntariamente. Foque toda sua orientação às sugestões e a imaginar, de forma plena, tudo o que acontece”.

Há muito tempo, os hipnotistas já diziam que fingir até que aconteça funcionaria, pois iria acontecer.

Milton Erickson, um hipnotista renomado, criou a técnica que é conhecida como indução ensaiada.

Nessa técnica, a indução funciona da seguinte maneira: o hipnotista fala para a pessoa que o treinará a entrar em estado hipnótico. Ele pede para que a pessoa faça de conta que se comporta como quem já está em transe, pois dessa forma, a pessoa realmente consegue entrar no processo.

Inclusive, Dave Elman pensava parecido. Ele dizia que para se conseguir entrar em transe hipnótico, a pessoa deveria ter um comportamento automatizado, e que no início seria voluntário, mas no final o processo se tornaria automático.

Dave Elmann costumava treinar crianças a se auto-hipnotizar. Ele dizia a elas que fizessem de conta que seus olhos não podiam se abrir, e elas fingiam até que de fato não abrissem. Essa técnica sempre funcionava.

A mente observa e aprende

Observar outras pessoas entrando em transe hipnótico ou se auto-hipnotizando é o último passo para conseguir se auto-hipnotizar, segundo o protocolo CSTP.

James Braid, um hipnotista do século 19, notou um fato curioso na época. Ele percebeu que quando hipnotizava uma pessoa e se tinham outras pessoas assistindo o processo de hipnose, as pessoas que assistiam tinham mais facilidade para entrar em transe hipnótico posteriormente.

E é comum se perceber que quando ocorrem hipnoses públicas, a céu aberto, ou até mesmo nas casas onde outras pessoas estão no mesmo local e percebem que funcionou com quem estava sendo hipnotizado, é normal que as demais também funcionem.

Um outro fato curioso que pôde ser percebido, é que quando a hipnose ocorre a céu aberto na rua, é quando geralmente a pessoa tem alucinações, isso significa que aquela pessoa está vendo algo que não existe. Logo, a probabilidade dos demais voluntários à hipnose terem alucinações é maior.

Podemos concluir que a hipnose exerce sua função por meio da expectativa. E que essa expectativa é capaz de ensinar às pessoas o comportamento adequado para conseguir entrar em transe hipnótico.

E no protocolo CSTP são vários os exercícios, mas todos eles têm uma coisa em comum: engajamento.

O protocolo CSTP é feito até os dias de hoje e sempre tem ótimos resultados.

Dicas de sugestões que podem ser feitas após o processo de hipnose

Todas as sugestões são enviadas durante o transe hipnótico, mas os efeitos surgem quando o processo acaba. E após o processo você também pode enviar sugestões ao cérebro de acordo com seus objetivos. A seguir, algumas frases que podem ser ditas à sua mente:

  • Estou tranquilo.
  • Sou confiante ao falar em público.
  • Sou uma pessoa saudável.
  • Não tenho medo.
  • É muito fácil parar de beber / fumar.

A partir de agora sou uma pessoa mais calma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *